Mato Grosso

Fórum Pró-Ferrovia deve acontecer em maio

FERRONORTE - Reunião era para acontecer há duas semanas

Publicado em: 23 de Abril de 2019
Fonte: De Brasília - (Agência RBC News)

A reunião do Fórum Pró-Ferrovia em Cuiabá com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, que era para acontecer há duas semanas, agora ficou para maio ou junho. A definição da data ficou a cargo do próprio Fórum, segundo o presidente do colegiado, Francisco Vuolo, filho do ex-senador Vicente Vuolo, o “Pai da Ferrovia”. No dia 3 deste mês, parte dos integrantes do Fórum esteve em Brasília para serem recebidos por Freitas, mas acabaram se encontrando com o secretário-executivo do Ministério, Marcelo Sampaio. O ministro teve outros compromissos.

Segundo Francisco Vuolo a definição da data será apresentada ao ministro. Em encontros com a bancada de Mato Grosso, o ministro Tarcísio de Freitas havia prometido visitar o Estado para debater com os políticos e empresários locais as demandas em relação à infraestrutura. A Ferrovia Vicente Vuolo seria um dos pontos de pauta. Mas tudo ficou apenas na promessa.

Os integrantes do Fórum acalentam a esperança de que o governo Bolsonaro irá agilizar os processos para a retomada das obras da ferrovia de Rondonópolis a Cuiabá. E para isto conta com o empenho da bancada. “O apoio da bancada federal sempre esteve presente. O avanço da Ferrovia até a Capital e, posteriormente, ao norte do Estado representa a inserção de toda região em um novo ciclo de desenvolvimento, conforme os estudos apontados pela própria concessionária Rumo, que esteve em um seminário organizado pelo Fórum Pró-Ferrovia, no ano passado”, recorda Francisco Vuolo.

“Estamos na expectativa de que se concretize a expansão da Ferronorte de Rondonópolis para a Região Metropolitana de Cuiabá. Esse, por longos anos, tem sido o sonho de todo mato-grossense, que começou com os ideais do grande senador Vuolo e que, agora, estamos tendo a oportunidade de vê-lo sendo realizado. É uma alegria saber que todos estão trabalhando para que isso aconteça”, afirmou o senador Jayme Campos (DEM).

“Para nossa satisfação, tudo está caminhando bem e sendo muito bem recebido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres, pelo Ministério da Infraestrutura, pelo Tribunal de Contas da União e, sobretudo, pela concessionária Rumo, que demonstraram total interesse de construir os trilhos, para desenvolver a região metropolitana e escoar a nossa fabulosa produção agrícola para o mundo. Estamos esperançosos!”, complementou. 

Mesmo com tanto entusiasmo com as boas novas, Jayme Campos sempre alertou para o fato de que há setores políticos e empresariais, sobretudo os ligados ao agronegócio, que não querem a passagem da ferrovia por Cuiabá. Hoje esses setores, até por conta do trabalho do Fórum, já não faz um combate ostensivo contra a chegada dos trilhos à capital mato-grossense. Mesmo assim, as posições contrárias ainda são fortes. “Ainda há uma conspiração que impede a chegada da Ferronorte a Cuiabá”, afirmou Campos na primeira e única reunião da bancada com o ministro Tarcísio de Freitas.  

O senador Wellington Fagundes (PR) é vice-presidente da Comissão Infraestrutura (CI) do Senado e um dos principais articuladores em defesa do avanço da Ferronorte. “Temos que avançar. Sair de Rondonópolis até Cuiabá, indo ao Norte com a Ferrogrão e com a FICO”, destacou ele, ao se dirigir ao ministro e defender também uma maior segurança jurídica aos investimentos.  

Uma das situações que em certa medida neutraliza a posição dos contrários à chegada da ferrovia a Cuiabá é que o Fórum Pró-Ferrovia e as entidades que o compõem incluíram na reivindicação a extensão dos trilhos também para Sorriso. Contudo, a movimentação dos trilhos para a capital e o Nortão vai depender de obras que a Rumo Logística condiciona na Malha Paulista, que possam garantir à ferrovia em São Paulo suportar o fluxo.