Nova Ubiratã

FALTA DE PLANEJAMENTO: Prefeitura de Nova Ubiratã tenta realizar pavimentação asfáltica, mas chuva desfaz trabalho.

Quem está errado a prefeitura em realizar a pavimentação em período chuvoso? Ou a chuva que deveria esperar a obra acabar?

Publicado em: 21 de Novembro de 2018
Fonte: Ubiratã News/Bruno Oliveira

Mas a pauta em questão é a palavra de ordem empregada que se chama ECONOMICIDADE.

Para quem não sabe o significado da palavra em questão quer dizer, princípio da economicidade vem expressamente previsto no art. 70 da CF/88 e representa, em síntese, na promoção de resultados esperados com o menor custo possível. É a união da qualidade, celeridade e menor custo na prestação do serviço ou no trato com os bens públicos.

Resumindo trata-se de economizar dinheiro público a fim de aplica-lo na promoção de qualidade de vida.

Dito isso, queremos pontuar que em Nova Ubiratã está sendo realizado trabalhos de pavimentação asfáltica, e que recentemente foi divulgado em um portal de notícias da cidade que é vinculado ao executivo, e neste elencou a tal “ECONOMICIDADE” por parte da gestão pública.

Pois bem, a reportagem do Ubiratã News a fim de levar a informação aos leitores deste Portal, esteve nos locais onde estariam sendo empregados o dito recurso que provem desta economicidade, mas o que percebemos foi o total desrespeito com o material que é adquirido com recursos públicos provenientes do imposto pago com o dinheiro tão suado do cidadão Ubirataense.

Registramos com fotos e você poderá conferir e constatar o desmazelo com o bem público, vale ressalvar ainda o trabalho empregado na pavimentação asfáltica, onde o piche que é uma das primeiras etapas da pavimentação, e que está sendo implantado para receber a brita, é tão fino que realmente dá para perceber a tal economicidade.

De modo geral queremos informar ao executivo assim como os responsáveis, que economicidade se faz quando tudo está bem, tanto na saúde, educação, meio ambiente, Infraestrutura, etc.

Ainda no site que divulgou a matéria da tal “ECONOMICIDADE” foi informado que o valor de R$ 288.000,00 (duzentos e oitenta e oito mil reais), são provenientes de recursos próprios economizados ao longo deste ano.

É dever do poder executivo, realizar economias, desde que todas as áreas do poder público esteja tendo bom investimento, garantido qualidade de vida da população de modo geral, ai sim, economizar e investir em mais qualidade de vida para beneficiar a todos.

Mas se o município necessita de investimentos em secretarias, deve-se primeiramente praticar economicidade para melhorar pontos que necessitam, como é o caso da secretaria de infraestrutura e obras, como por exemplo a pavimentação já existente no município, ou nas demais pastas que fazem parte da administração.

Por último dizer que, realizar pavimentação em tempos de chuva, não gera economicidade e sim mais gastos públicos, uma vez que o trabalho realizado em um dia, tem de ser feito novamente no outro, por que a chuva desfaz todo trabalho realizado, como é o caso que está acontecendo nas ruas onde está sendo realizado os trabalhos de pavimentação em Nova Ubiratã, localizados em diferentes trechos das ruas Leste, Manoel Tutu de Souza e da avenida Tancredo Neves.

Ainda no local da pavimentação, registramos várias manilhas jogadas para todos os lados, e até mesmo quebradas, manilhas que são adquiridas com dinheiro da tal “ECONOMICIDADE” ou seja dinheiro do povo, e que estão a mercê da chuva e do sol, causando assim perca de qualidade e provável destruição do bem adquirido com dinheiro de impostos.

Pavimentação em tempos chuvosos não geram economia e sim gastos e transtornos no trânsito, dificultando o tráfego no perímetro urbano, além de nitidamente, percebermos que essa pavimentação da maneira que está, não será mais que uma casca de ovo e que se continuar assim, muito em breve irá gerar gastos ao erário, haja vista que será preciso realizar trabalhos para corrigir possíveis buracos que se formarem no futuro.

Queremos aqui ressaltar que todo investimento tanto em pavimentação quanto em outras obras que beneficiam a sociedade é louvável desde que a qualidade de vida da população esteja boa, e o projeto seja bem planejado.

Ressaltamos também que este portal se coloca à disposição de quaisquer que queiram esclarecer sobre o assunto em questão.

Em breve traremos uma nova matéria abordando novamente o dinheiro empregado na obra, a fim de informar a sociedade sobre os gastos que estão sendo realizados.

Ainda em tempo queremos pontuar que se a intenção era mesmo economizar dinheiro para investimento com recursos próprios, deveriam economizar no gasto com dinheiro em confecções de materiais gráficos que tem valor homologado e ultrapassam a casa do R$ 1 Milhão, ou economizar com o gasto de agência de publicidades que ultrapassam os R$ 400 Mil, e que certamente resolveria pequenos entraves que vem prejudicando a população de modo geral. Sem contar o valor que está homologado para aquisição de madeira, a fim de dar manutenção em pontes e cabeceiras que ultrapassam a casa dos R$ 5 Milhões, a manutenção de gastos com pontes e cabeceiras e salutar, mas poderia ter economia também.

A economia desses valores sim traria “ECONOMICIDADE” e poderia ser gasto em vários setores que necessitam de investimentos, além de proporcionar qualidade de vida a toda sociedade.

Em breve traremos uma matéria mais detalhada sobre os gastos do poder público que foram acima citados, estamos terminando de levantar todos os valores, e traremos ao conhecimento público.

  • Tags:
  • nova ubirata
  • nova ubiratã
  • ubirata
  • ubiratã