Sinop

Pai acusado matar filho de 5 anos com golpe \'mata-leão\' fará exame de insanidade mental

Nortão

Publicado em: 17 de Setembro de 2018
Foto Por: Reprodução/TVCA (TV Centro América)
Fonte: Denise Soares/ G1 MT
Pai acusado matar filho de 5 anos com golpe 'mata-leão' fará exame de insanidade mental

O pai acusado de ter espancado e assassinado o filho, de 5 anos, em fevereiro deste ano em Sinop fará um exame de insanidade mental por determinação da Justiça de Mato Grosso. A decisão é do dia 3 de setembro.

Jonas Pereira Teixeira, de 31 anos, à época, confessou à polícia que estrangulou o menino usando um golpe 'mata-leão'. Ele disse que cometeu o crime sob efeito de drogas.

O pedido do exame foi feito pela defensora que atua no caso de Jonas e acatada pela juíza Rosângela Zacarkim dos Santos, da Primeira Vara Criminal.

A avaliação terá que responder algumas perguntas, como se o pai do menino possui algum tipo de doença mental ou era incapaz de entender o crime quando o cometeu.

O exame também poderá indicar se, caso haja alguma perturbação mental, Jonas não tinha capacidade de entender o que acontecia e se atualmente ele possui alguma doença mental.

O laudo deverá ser feito pela Perícia Oficial e Identificação Técnica do Mato Grosso (Politec).

O caso

Davi dos Santos Vasconcelos, de 5 anos, foi socorrido pelo pai até a Unidade Básica de Saúde (UBS) do Bairro Menino Jesus, onde morreu. O suspeito disse ao delegado Carlos Eduardo Muniz dos Santos que estava usando pasta base de cocaína.

Ele também contou que estava 'entorpecido' pela droga quando atacou o filho no momento em que a criança entrou na casa depois que ela brincava na parte externa da residência.

Ainda de acordo com o depoimento do suspeito, ele agarrou o menino por trás, apertado o pescoço da criança, com um golpe ‘mata-leão’, e o lançou ao chão.

Conforme a Polícia Civil, informações preliminares apontam que no corpo do menino existem outras marcas, além do estrangulamento, sugerindo que a criança também teria sido espancada pelo pai. Essa informação foi omitida pelo suspeito no depoimento.