Nova Ubiratã

Má gestão de prefeito deixa de joelhos 3º maior produtor de grãos de Mato Grosso.

Este cenário é a marca da administração do prefeito de Nova Ubiratã Valdenir José dos Santos.

Publicado em: 22 de Janeiro de 2019
Fonte: Ubiratã News/Bruno Oliveira

Precariedade na manutenção e limpeza do município, falta de assistencialismo, moradores com deficiências sofrendo por falta de atenção da gestão, estradas urbanas e rurais em caos, distritos com obra paralisadas etc.

Este cenário é a marca da administração do prefeito de Nova Ubiratã Valdenir José dos Santos.

Prefeito este que não teme nem mesmo os poderes judicias do nosso estado, apesar de ter seus bens bloqueados por falta de notas que comprovem gastos com publicidades, isso não intimidou o gestor que empenhou nos últimos meses de 2018 uma bagatela de R$ 162,840, 34 (Cento e sessenta e dois mil oitocentos e quarenta reais e trinta e quatro centavos) desse montante já foram liquidado e pago o valor de R$ 130, 894,00 (Cento e trinta mil oitocentos e noventa e quatro reais) Com agência de publicidades e propaganda do município de Sinop, vale ressaltar que este montante daria para custear o aumento salarial que os professores queriam e tinha direito em 2018 e que foi negado, ocasionando a primeira greve da rede municipal  de ensino.

Mas vemos que nada disso intimida o gestor municipal, mesmo com seus bens bloqueados por falta de prestação de conta em gastos com publicidades e propaganda, o gestor continua a contratar por valores exorbitantes agências de publicidades.

A agência de publicidades Lhan que antes prestava este serviço e também Adilson Martins proprietário da empresa, também teve os seus bens bloqueados juntamente com o prefeito e seu secretário de administração.

O que deixa a população revoltada é que muito dinheiro está sendo gasto para promover uma gestão que tem pouquíssimas ações, ou seja está sendo gasto mais dinheiro em publicidade e propaganda do que ações que vão beneficiar a todos.

Como é o caso da secretaria de infraestrutura e obras do município que gastou mais de 20 mil em publicidades e propaganda, mas o que chama atenção é que tal secretaria não tem ações que justifique tal gasto em mídia, e não se vê em nenhum meio de comunicação o trabalho de publicidade propaganda sendo feito, tão pouco obras ou ações para serem divulgadas.

Além da secretaria de obras, outras secretarias gastaram valores absurdos com publicidade e propaganda, queremos saber onde está o dinheiro, quais são as ações impactantes realizadas pelas secretarias que necessitaram de tamanho recursos para serem gastos com publicidade e propaganda.

A sociedade quer uma resposta do poder executivo, uma vez que esse dinheiro gasto é fruto dos impostos da população.