Mato Grosso

Rossato recua de disputa ao Governo e diz que Galli é \'egocêntrico\'

Governo

Publicado em: 08 de Junho de 2018
Foto Por: Alair Ribeiro/MidiaNews
Fonte: RD News
Foto: Alair Ribeiro/MidiaNews

Depois de uma pré-candidatura que não deslanchou, o ex-prefeito de Sorriso Dilceu Rossato (PSL) anuncia que não vai mais tentar concorrer ao governo. Uma das razões alegadas pelo político é o suposto egocentrismo demonstrado pelo deputado federal Victório Galli ao comandar o diretório estadual da sigla. Segundo ele, o partido tem um presidente que só pensa nele.

O ex-pré-candidato alega que desde o começo da pré-campanha, o acordo na sigla era não se envolver com o governador Pedro Taques (PSDB). No entanto, Galli se reuniu com o tucano, abrindo margem para eventual aliança.

“Nossa intenção era fazer uma chapa para ser oposição a Pedro Taques. O Galli combinou que não faria aliança com o governo. De repente vejo notícias de que ele está reunido com o governador. Senti como uma abelha fora da colméia”, afirma Rossato.

Nesta semana, Galli chegou a comentar que a reunião que teve com o governador foi uma questão de educação. “O governador nos convidou para falar de política e fazer um breve balanço de sua gestão. Nós do PSL somos educados e gentis e não negamos conversa”. Além disso, admitiu que o partido já pensava em um Plano B, pois a candidatura do ex-prefeito não havia decolado.

Não é a primeira vez que o parlamentar enfrenta críticas pelo fato de estar no comando do PSL. Logo no início, quando foi chamado pelo presidenciável Jair Bolsonaro para tal função, ele enfrentou resistência interna. O vereador por Cuiabá Wilson Kero Kero, em março, classificou Galli como “fusquinha velho caindo aos pedaços” e prometeu “ir para o pau” caso atendesse ao convite do pré-candidato a presidente. Os ânimos se acalmaram dias depois.

Recuo

Na terça (5), o ex-prefeito se reuniu com o pré-candidato Otaviano Pivetta (PDT). Os dois se comprometeram a caminharem juntos, sendo que um deles iria anunciar a desistência da candidatura.

Apesar da amizade com Pivetta , Rossato pondera que ainda vai aguardar definições do PSL para declarar ou não apoio ao pedetista. Dentro da sigla, Rossato diz que continuará apoiando a pré-candidata ao Senado, a juíza aposentada Selma Arruda, assim como também manifesta apoio ao senador José Medeiros (Podemos).

Com a desistência, o cenário de principais pré-candidatos fica com Wellington Fagundes (PR) e Pivetta, além de Taques e o ex-prefeito Mauro Mendes (DEM), que se articulam nos bastidores, sem oficializar.