17 de janeiro de 2021

Nova Ubiratã

Geral

Caçadores de fantasmas visitam cemitérios e casas abandonadas em Cuiabá e relatam casos sobrenaturais

Foto por: G1

O casal Shuaila Souza de 34 anos e o marido Anderson Souza, de 41 anos, que mora em Cuiabá, visitam cemitérios a no bairro do Porto e casas abandonadas em Cuiabá nas horas vagas, em busca de apurar e relatar casos sobrenaturais.

Para relatar as histórias, eles criaram um canal no YouTube onde postam vídeos das visitas aos locais que possuem atividades sobrenaturais. O canal ‘Detetives Sobrenaturais – Caçadores de Fantasma’ nasceu há 11 meses por hobby.

Shuaila conta que aos 7 anos começou a ter sensibilidade espiritual quando os pais se mudaram para uma casa que, segundo ela, possuía energias negativas. Como ela não tinha conhecimento do que se tratava, foi difícil lidar com as situações e só começou a entender depois de adulta.

Quando conheceu Anderson, eles começaram a estudar para entender mais sobre o assunto. Ela disse que muitas vezes chegou perto de pessoas e sentia que a energia era ruim ou quando iria visitar amigos se sentia mal quando entrava nas casas.

Shuaila trabalha com marketing de empresas e Anderson é projetista mecânico. Nas horas vagas, eles vão até os locais que as pessoas indicam no canal e gravam o vídeo tentando captar a presença de algum espírito.

Os caçadores de fantasmas utilizam câmera para identificar esses seres, iluminação especial, e um aparelho que detecta energia eletromagnética, o EMF K2.

“Meu marido insistiu para gente gravar e mostrar para as pessoas o que a gente vê, o que a gente sente, aonde tem algo sobrenatural e o que é apenas imaginação. É um mundo de curiosidades, é um mundo repleto de pontos de interrogações que precisam ser preenchidos. Foi aguçando mais a nossa curiosidade sobre isso”, afirma.

O canal possui mais de 3 mil inscritos com vários vídeos de locais em que eles visitaram, como o cemitério que fica no bairro do Porto e casas abandonadas em Cuiabá. Eles também fazem lives respondendo as perguntas dos inscritos e comentam alguns casos.

 

Fonte: G1G1

Escrito por: G1

Somos o Ubiratã News, um site de notícias que tem o prazer
em dar a notícia, receber as opiniões de vocês amigos
leitores, onde podemos debater ideias