19 de setembro de 2021

Nova Ubiratã

Mato Grosso

Mauro cobra Cuiabá sobre fila dos ossinhos e garante que Estado age

Foto por: RDNews

O aumento da pobreza em Mato Grosso após mais de uma no de pandemia de covid-19 ganhou repercussão nacional com o caso emblemático de pessoas em filas para receber alimentos doados. Ao comentar o caso da fila em um açougue que doa partes de animais, como ossos, tema de matérias em jornais nacionais, o governador Mauro Mendes (DEM) defendeu sua gestão e cobrou ações da Prefeitura de Cuiabá, onde fica o açougue.

“A assistência social em Cuiabá é da cidade de Cuiabá. O governo está fazendo muito e o que Cuiabá está fazendo? Hoje vamos divulgar a quantidade de cesta básica que estamos distribuindo aqui. Então, o governo está fazendo isso no estado inteiro, mas as prefeituras têm que fazer também”, declarou na manhã desta segunda (26), em coletiva à imprensa para o anúncio do retorno às aulas presenciais.

Mesmo sendo campeão na produção de alimentos, MT figura entre os estados com cenário negativo quanto à proporção de pessoas em extrema pobreza. De acordo com dados do IBGE, em 2019, dos 3,4 milhões mato-grossenses, 87 mil (2,5%) estavam em situação de extrema pobreza. No mesmo ano, em Cuiabá, houve queda entre 2019 e 2018. Segundo aponta o IBGE, dos 612 mil moradores da Capital, 9 mil estavam em situação de extrema pobreza em 2019, enquanto no ano anterior eram 19 mil.

Mas com a pandemia a extrema pobreza voltou a crescer em Cuiabá que registrou 18 mil famílias inscritas no Cadastro Único (CadÚnico). Em todo o Estado, a extrema pobreza aumentou 21,3% em três anos. Até abril, foram mais de 398 mil pessoas nessa situação, segundo dados da Secretaria Estadual de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

O governador é rival declarado do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e as relações em entre eles têm causado impasses em temas sensíveis, o que piorou durante a pandemia quando os desencontros entre Estado e Município foram duramente criticados até por aliados de ambos. Contudo, Mauro tem se mostrado contrariado sobre a repercussão de casos de pessoas em situação de extrema pobreza e aproveitou para questionar a administração do rival.

“O que a Prefeitura de Cuiabá está fazendo? Não é um problema do Estado, nós estamos fazendo a nossa parte. Agora, e a prefeitura, está fazendo a dela?”, finalizou o governador.

Fonte: RDNews

Escrito por: RDNews

Somos o Ubiratã News, um site de notícias que tem o prazer
em dar a notícia, receber as opiniões de vocês amigos
leitores, onde podemos debater ideias