08 de agosto de 2022

Nova Ubiratã

Polícia

Fazenda de ex-deputado é alvo do Gaeco por incêndios criminosos em MT

Foto por: Folha amax

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco Ambiental) e as Secretarias de Estado de Segurança Pública e de Meio Ambiente promovem uma operação na região de Colniza (759 km distante de Cuiabá) para impedir a prática de incêndios florestais criminosos. A informação é de que moradores da região estariam planejando um "dia do fogo" na região.

Dezenas de ações estão sendo ajuizadas para responsabilizar desmatamentos e incêndios florestais já identificados na região, principalmente na Fazenda Magali. Trata-se de uma propriedade de 46 mil hectares que é alvo de uma interminável briga judicial entre o ex-deputado José Geraldo Riva e Agropecuária Bauru.

A fazenda foi vendida em 2012 por R$ 18,2 milhões para a empresa Floresta Viva Exportação de Madeira, pertencente à família Riva. Depois, houve acusações de quebra de contrato por falta de pagamentos gerando ações na Justiça.

Em uma das últimas decisões, divulgadas em janeiro deste ano, a Justiça anulou o contrato entre as partes e mandou "dividir" a fazenda, ficando uma parte para o ex-deputado José Riva e outra para a Agropecuária Bauru.

As investigações para apurar a responsabilidade por incêndios está a cargo do Gaeco Ambiental e das Delegacia Especializada do Meio Ambiente (DEMA) e Delegacia de Colniza. Por imagens de satélite, é possível identificar o local e o horário aproximado do início dos focos de calor. Isso possibilita identificar incêndios criminosos e apurar a responsabilidade.

Está proibido o uso do fogo em Mato Grosso desde o dia 1º de julho, e a vedação segue até 30 de outubro. Durante esses meses, fica proibido o uso de fogo em áreas rurais para limpeza e manejo, levando em consideração o risco de incêndios florestais de grandes proporções. Já o uso do fogo em áreas urbanas é proibido o ano todo.

Repressão - A Polícia Militar comandará uma operação de presença ostensiva das agências de segurança no local e, se necessário, adotará medidas de repressão. As equipes estão sendo enviadas para apurar os fatos integradas pela PM, Polícia Ambiental, Sesp e Sema.

Fonte: Folha amax

Escrito por: Folha amax

Somos o Ubiratã News, um site de notícias que tem o prazer
em dar a notícia, receber as opiniões de vocês amigos
leitores, onde podemos debater ideias