27 de outubro de 2020

Nova Ubiratã

Polícia

Pastor espanca fiel durante culto religioso

Foto por: Folha max

Um pastor, identificado como Ney Valdecy Ferreira, está sendo acusado de ter “espancado” a fiel Maria Aparecida, 54 anos, e a filha dela dentro da Igreja Pleno Amor, no bairro Pedregal, em Cuiabá. De acordo com testemunhas, o caso aconteceu durante uma discussão que se iniciou no culto do último domingo (20).

Segundo as informações, as agressões ocorreram após a filha de Maria chegar ao templo para deixar a filha com o ex-marido, que também participava da celebração. Segundo ela, o pastor Ney teria ficado incomodado com sua presença pelo fato dela ser divorciada e tentou puxá-la pelo braço.

“Ele pegou no meu braço e perguntou o que eu estava fazendo dentro da igreja. Perguntou se eu não tinha vergonha de estar lá sendo ex-mulher [de um dos fiéis]. Eu só fui deixar minha filha com o pai dela, com quem fui casada 17 anos”, relatou a filha de Maria, que não quis se identificar.

Nesse momento, uma das filhas do pastor de Ney, uma adolescente de 14 anos, foi tirar satisfações com Maria. Em seguida, a jovem começou pressionar a idosa contra parede.

“Eu estava em pé, quando ela [filha do pastor] ouviu minha filha gritando ‘solta’ para o pai dela. Ela veio me perguntar porque minha filha estava falado alto com ele. Depois, me pressionou na parede”, esclareceu Maria.

Exaltado, o pastor Ney se aproximou, afastou a filha e iniciou as agressões contra Maria. “Ele empurrou a filha dele e do jeito que eu estava parada, ele foi me esmurrando. Eu cai, ele acertou chutes, murros nos olhos e na cabeça”, complementou Maria.

Após a “sessão de espancamento”, o rosto de Maria ficou completamente inchado. A filha dela também sofreu arranhões no braço.

Diversos membros da igreja compartilharam a denúncia e diante da repercussão do caso, o pastor Ney excluiu o seu perfil nas redes sociais. De acordo com a Polícia Militar, a equipe do 3º Batalhão foi acionada e informada que houve agressão a duas pessoas da igreja contra duas mulheres.

Chegando ao local, a polícia encontrou uma das vítimas com hematomas pelo corpo, que precisou receber atendimento médico por conta das agressões sofridas. A Delegacia Especializada dos Direitos da Mulher (DEDM) deve investigar o caso e o pastor responderá por lesão corporal.

OUTRO LADO

Em entrevista à TV Vila Real (Canal 10), o pastor Ney relatou que ele e os fiéis foram separar a briga de entre Maria e a filha dele. O líder religioso também negou as agressões, mas não soube explicar os hematomas deixados no rosto da vítima.

“Todos nós corremos para separar eu até dei oportunidade para eles orarem no final. Vocês também tem que ver as fotos do pescoço da minha filha, da minha esposa, como está. Foram elas que agrediram primeiro. Só assim que vão poder julgar”, concluiu. 

 

Fonte: Folha max

Escrito por: Folha max

Somos o Ubiratã News, um site de notícias que tem o prazer
em dar a notícia, receber as opiniões de vocês amigos
leitores, onde podemos debater ideias